Modern technology gives us many things.

Todas as criaturas lendárias banidas no Magic: The Gathering Formato Commander

0

Nós damos uma olhada em todos os lendários banidos no formato Commander e por que eles foram excluídos.

O formato Magic: The Gathering’s Commander é atualmente mais popular do que nunca. Um formato focado em multijogador no qual os jogadores criam decks em torno de criaturas lendárias de sua escolha, este formato singleton é conhecido por atender a todos os tipos de jogadores, desde iniciantes casuais que procuram jogar com um orçamento até os veteranos mais experientes.

Embora este formato com foco lendário tenha acesso a um conjunto de cartas gigantesco contendo cartas de toda a história do jogo, o Commander tem uma lista de banimentos decentemente dimensionada que contém várias opções de possíveis comandantes. Então, hoje vamos examinar as criaturas lendárias banidas do formato Commander e ver por que exatamente elas foram removidas.

 

9 – Tranças, servo da cabala

Impresso pela primeira vez em Odyssey, Braids, Cabal Minion é um lacaio humano preto 2/2 por quatro mana. Com apenas uma habilidade, Braids afirma que no início da manutenção de cada jogador, aquele jogador sacrifica um artefato, criatura ou terreno.

 

Embora isso possa não parecer muito à primeira vista, quando emparelhado com cartas sinônimo de estratégias “Stax”, Braids pode fazer com que os jogos sejam rapidamente bloqueados e levados a um ritmo de caracol.

 

8 – Emrakul, The Aeon’s Torn

Um dos Eldrazi mais fortes que já se viu impresso, Emrakul, o Aeon’s Torn é um 15/15 incolor por quinze manas de qualquer cor. Incontestável e fazendo com que seu controlador dê outro turno depois de entrar no campo de batalha, Emrakul é uma ameaça terrível com proteção contra todas as magias coloridas e o aniquilador 6.

 

Devido ao seu poder bruto e ao fato da carta poder ser jogada em praticamente todos os baralhos, acredita-se que a carta foi banida para evitar a potencial homogeneização dos baralhos.

 

7 – Erayo, Soratami Ascendant

Erayo, Soratami Ascendant é uma criatura lendária mono-azul por dois manas que foi impressa em Saviors of Kamigawa. Enquanto a carta entra no campo de batalha com pouco mais de 1/1 com voar, se seu controlador jogar quatro feitiços em um único turno, Erayo é virado, tornando-se o encantamento, Essência de Erayo.

 

Este encantamento oferece uma habilidade incrivelmente opressora, anulando automaticamente o primeiro feitiço lançado por cada oponente a cada turno. Como esse efeito é bastante fácil de habilitar e abusar no commander, o card foi banido.

 

6 – Rofellos, Emissário Llanowar

 

Um druida elfo 2/1 por apenas dois manas verdes, Rofellos, Emissário Llanowar é um card banido por sua produção estelar de mana. Capaz de ser aproveitado para produzir um mana verde para cada floresta que seu dono controla, Rofellos é capaz de aumentar o mana a uma taxa absurdamente rápida.

 

Quando combinado com a consistência de estar disponível na Zona de Comando, não é difícil ver por que o card foi banido.

 

 

5 – Griselbrand

 

Um dos demônios mais icônicos de todo o Magic: The Gathering, Griselbrand é um 7/7 com voar e vínculo com a vida por oito mana. O principal apelo de Griselbrand é sua habilidade ativada que permite que seu controlador pague sete pontos de vida a qualquer momento para comprar sete cards.

Embora o pagamento de sete pontos de vida na maioria dos formatos seja um pouco exorbitante, já que o total de pontos de vida inicial em muitos formatos é de 20 pontos de vida, o total de pontos de vida inicial de 40 do Commander torna este custo muito mais insignificante, eliminando muito de seu risco.

 

4 – Iona, Escudo de Emeria

Enquanto Iona, Shield of Emeria tem um custo acentuado de nove mana, este anjo mono-branco foi banido do formato Commander por sua habilidade de desligar completamente decks inteiros.

 

A 7/7 com voar, ao entrar no campo de batalha, Iona permite que seu controlador escolha uma cor. Uma vez escolhidos, os oponentes daquele jogador não podem lançar feitiços da cor escolhida. Isso significa que Iona pode negar efetivamente um deck monocromático inteiro, resultando em experiências ruins na mesa do Commander.

 

3 – Leovold, Emissário de Trest

Leovold, Emissário de Trest é um 3/3 Conselheiro Elfo Sultai que foi banido por sua habilidade de bloquear mesas inteiras fora de um jogo de comandante. Evitando que os oponentes comprem mais de uma carta a cada turno, Leovold emparelhou de forma devastadora com efeitos de “roda” e cartas como o Puzzlebox de Teferi. Isso faria com que cada jogador descartasse sua mão, comprando novos cards em seu lugar, no entanto, apenas o controlador de Leovold realmente compraria os cards adicionais, enquanto os outros ficavam sem nada.

 

Devido à consistência com que essa estratégia opressiva poderia ser usada com Leovold, a carta foi rapidamente banida.

 

2 – Lutri, o caçador de feitiços

Lutri, o Spellchaser é um destaque distinto nesta lista, tendo sido banido antes do lançamento oficial do cartão. Embora longe de ser um card quebrado, custando três mana e copiando uma única mágica instantânea ou feitiço ao entrar no campo de batalha, o banimento de Lutri foi devido à habilidade de Companheiro do card.

 

Companheiro permite que a carta funcione de forma semelhante a um comandante adicional, desde que seu deck atenda aos requisitos do Companheiro em questão. Enquanto a maioria dos Companheiros impõe restrições aos tipos de cards que podem ser usados ​​em seu deck, Lutri simplesmente exige que o jogador não tenha mais do que uma cópia de cada card, exceto para terrenos básicos em seu deck. Como Commander é um formato único no qual isso já é um requisito de construção de deck, se Lutri não tivesse sido banido, ele simplesmente funcionaria como uma carta adicional disponível para aqueles que jogam tanto o azul quanto o vermelho.

 

1 – Golos, peregrino incansável

 

O card banido mais recentemente no formato Commander, Golos, Tireless Pilgrim deixou de ser o comandante mais popular do jogo para não ser legalmente jogável.

 

Uma criatura artefato por cinco mana, ao entrar no campo de batalha, Golos pode pesquisar o grimório de seu controlador por qualquer terreno, colocando aquele card diretamente em jogo. Além disso, pelo custo de sete mana (incluindo um de cada cor), Golos essencialmente permite que seu controlador conjure os três primeiros cards de seu grimório sem pagar seus custos. Como Golos podia consertar efetivamente o mana de alguém e permitir que os jogadores utilizassem quaisquer cartas válidas no formato, ele funcionou como uma opção forte e aberta que poderia facilitar inúmeras estratégias.

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More